O julgamento do Lula

Nem sempre o gestor é culpado pelos danos causados por seus subordinados, mas normalmente será o responsável. É da natureza do cargo e da função ser o responsável. O raciocínio que permite não seja o gestor responsabilizado é o que sempre vigeu no Brasil e resulta na popularesca frase de que “a corda arrebentou no lado mais fraco”.

Pois bem, Lula é evidentemente culpado. E teve vantagens financeiras e políticas com isso. É fato e os resultados estão aí nas ruas. Os que escolhem não acreditar nisso babariam de raiva se, diante dos mesmos fatos, substituíssemos os personagens por outros mais à direita.

O Brasil vive uma ode à irracionalidade. Nunca fomos exemplo de bom senso e equilíbrio e provavelmente chegamos nessa polarização por causa disso (afinal, não há efeito sem causa). É preciso que as pessoas não se deixem levar por esta irracionalidade quando pensam e atuam naquilo que entendem como solução.

Não podemos tolerar lideranças que preguem violência. Não podemos tolerar rupturas institucionais sob pretextos “morais” ou “ideológicos” mais elevados.

A evolução social precisa de ajustes e correções constantes, não de rupturas, revoluções e eternos recomeços. Essa ideia é resultado desta irracionalidade, que por sua vez é efeito da imaturidade.

O Judiciário brasileiro está mudando de postura no trato dos grandes criminosos. Chegou a hora. Por mais que a demagogia populista explore esse momento politicamente para continuar sua eterna luta contra os cataventos de Don Quixote não é crível que retrocedamos aos limiares da impunidade. Lula será condenado.

Se parte (ou boa parte) dos brasileiro querem votar num condenado, que o façam. Eles que acreditem no que podem e querem.

Nós que não acreditamos na balela populista precisamos auxiliar de forma coerente e atenta a história a não contaminar-se com tais impropérios. O Brasil dispõe na sua trajetória de incontáveis lideranças que merecem devoção e respeito. O fato de insistirmos em desacreditá-las, costumeiramente em desfavor dos mesmos tipos de líderes populistas, revela que os conhecedores são excessivamente omissos e silentes.

Acredito firmemente que Lula será condenado. Mas se não for, mesmo com toda a minha irresignação, não vou pedir golpes e revoluções. Vou pedir que sejamos melhores.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s