Aos mestres, meu carinho

Todos nós já recebemos um post informando que, no Japão, apenas os professores não precisam se curvar em frente ao Imperador e que, também lá, se respeitam os velhos e seus cabelos brancos.

Ouso afirmar que já houve um tempo em que ser velho e ser professor eram quase a mesma coisa. Ambos tinham (e tem) o dever de instruir os mais novos, transmitindo conhecimento e ajudando a encontrar soluções.

A profissão de professor é tratada de forma diversa nas mais variadas culturas, mas sempre com respeito e, quase sempre, com veneração. Aqui no Brasil é diferente, especialmente com o professor da rede pública. Ele ganha em média vinte vezes menos que um magistrado, que um auditor, que um delegado… porque, quando desconstruímos os Impérios e nos tornamos uma República, o Estado se preocupou em atender a elite aristocrática e dar a seus filhos funções que lhes mantivessem o status e o padrão de vida. Já naquela época víamos os cargos ligados ao poder estatal como os mais importantes.

A verdade é que o trato aos professores revela quem somos. Uma sociedade pode ser facilmente avaliada pela forma com que trata seus mestres. Uma pessoa, uma família, um município idem. Vamos mudar nosso país quando diminuirmos o custo estatal de certas funções para melhor valorizarmos nossos professores.

Essa desvalorização da função (infelizmente) trouxe uma série de desinteressados para o magistério, gente que não é vocacionada (palavra hoje odiada pela classe) e que entrou na profissão por falta de alternativa. Esses costumam ser os que transformam a profissão em palanque, em palco ou em divã. Mas essa desvalorização também abrilhantou aqueles que são os professores vocacionados, que honram a profissão e moram nas lembranças amorosas das pessoas.

A estes deixo, no seu dia, meu profundo e sincero agradecimento. Obrigado por suportarem a baixa remuneração. Obrigado por transferirem o seu melhor mesmo cansados, desiludidos e sozinhos. Obrigado por levarem a luz mesmo onde ela apenas cega. Obrigado por continuarem sendo pontes. Obrigado, mestres! A todos vocês o nosso eterno carinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s