Feliz Natal pra ti

O tempo me ensinou que nem todos sentem a alegria que sinto no Natal. Não pelos presentes, nem pela questão religiosa, tampouco pelas críticas ao excesso de consumismo e afastamento dos motivos que levaram à existência dessa celebração. Algumas pessoas não gostam da simbologia que o Natal carrega, de união, de perdão, de reflexão. Provavelmente transferem para outro momento ou evento estes valores ou, quem sabe, nem se identificam com eles.Eu aprendi a respeitar isso. Sinceramente.

Para todas as demais que aproveitam a data para reflexionar e celebrar, o Natal inunda o coração de carinho, alegria, saudade, sonhos.

É bom termos momentos que nos forçam a introspecção e, ao mesmo tempo, se transformam em festa de aconchego e aproximação.

Não tenho comigo a presença de todos que gostaria. Sinto pencas de saudades de muita gente que se foi e de outros que não querem ou não podem estar ao meu lado.

O ano se passou com tantas mudanças, tantos duros enfrentamentos. 

Só a elevação das intenções e dos propósitos existenciais pode trazer conforto. Se não, de que vale tudo isso? De que vale tanto sacrifício se não carregarmos a crença – ou ao menos a esperança – de que dias melhores virão?

O Natal me é isso. Esse reacendimento que acaba por fortalecer um pouco mais o coração para as novas lutas que virão.

E é o exemplo do aniversariante que me anima. Suas lições, seu carinho, seu encantamento, sua capacidade de tornar líderes de um movimento que revolucionou a humanidade pessoas que antes eram simples e despropositadas.

O Natal me lembra do compromisso que tenho com os outros e comigo. Da gratidão que sinto pelos que estão ao meu redor e pelos que estiveram. Me remete aos meus lúdicos propósitos, para que eu não me perca nesse mundão cheio de desvios que nos levam pra longe de nós e dos nossos.

Desejo a ti um Feliz Natal do jeito que ele te for melhor!

E agradeço ao aniversariante por essa festa em que todos celebramos e nos reunimos.

Anúncios